Relatório Anual 2015

OBJETIVO 2 | Contribuir para a ampliação de ofertas e efetividade das ações voltadas ao desenvolvimento sustentável de São Miguel Paulista empreendidas pelo Estado, iniciativa privada e outras organizações da sociedade civil

Influência em políticas públicas

Fundação Tide Setubal articula comunidade para participação no Território CEU São Miguel

Ao iniciar suas atividades em São Miguel Paulista, a Fundação Tide Setubal optou por não ter uma sede própria. A escolha pela revitalização e gestão do Clube da Comunidade Tide Setubal seguiu a perspectiva de recuperar espaços púbicos, valorizando a origem e a identidade da localidade e estimulando uma nova maneira de uso, apropriação e pertencimento. As práticas, antes restritas ao esporte, foram ampliadas a partir da escuta da comunidade. Uma ampla programação cultural e oficinas artísticas e culturais tornaram o CDC um espaço educativo de encontro e convivência.

A essência do trabalho desenvolvido no CDC para torná-lo um espaço educador, com ocupação e apropriação da comunidade, é também a diretriz da Fundação para o momento de transição do espaço com a construção do CEU São Miguel, projeto da Prefeitura Municipal de São Paulo. Os planos de reforma apresentam a construção de um novo equipamento com teatro, piscina, biblioteca e uma creche. Desde o início do projeto, a Fundação Tide Setubal reforça seu papel de articulador para manter viva a relação com a comunidade local. Reconhece, ainda, que a chegada do equipamento (ainda em obras) amplia e qualifica a oferta de espaços de lazer e cultura, escassos em São Miguel Paulista.

A Fundação Tide Setubal acredita que o desenvolvimento local é um caminho construído conjuntamente, ele não pode ser percorrido sozinho. O “fazer com” deve ser conduzido pela escuta sensível, a troca por meio do diálogo, alinhada aos desejos da comunidade. Para assegurar esse princípio, a Fundação Tide Setubal fomentou, em parceria com moradores, conselho consultivo do CDC e coletivos da região, a redação de uma carta de intenções que foi entregue aos diferentes órgãos do poder público envolvidos na construção do CEU – Secretarias de Educação, Cultura, Esporte, Desenvolvimento Urbano, Serviços e Subprefeitura de São Miguel e DRE São Miguel.

 

O documento apontava a preocupação com a manutenção das práticas esportivas, pedagógicas, culturais e comunitárias existentes no CDC Tide Setubal, a preservação da incubadora de projetos culturais, da implementação do Plano Político-Pedagógico do território CEU São Miguel, desenvolvido com a comunidade, o poder público e demais parceiros, e a ocupação de uma cadeira com representante do CDC Tide Setubal no conselho gestor.

Embora nem todos os órgãos tenham se manifestado favoráveis ou contrários às reivindicações dos moradores, a Secretaria de Educação, por exemplo, se posicionou apoiando a importância de se estabelecerem processos que garantissem a construção coletiva das ações em parceria com a comunidade.

No fim do ano, realizou-se uma reunião organizada por Marcelo Ribeiro, gestor de espaços da Fundação Tide Setubal, com a participação da comunidade, a presidente da Fundação Tide Setubal, Maria Alice Setubal, a conselheira da Fundação e do CDC Tide Setubal, Marlene Cortese, e a superintendente da Fundação, Paula Galeano, com o objetivo de fazer um balanço das atividades do ano e traçar novos rumos para 2016.

O resultado desse encontro foi a definição de uma comissão com dois representantes de cada área – esporte, cultura e comunidade –, com o objetivo de resguardar a participação ativa da comunidade na gestão do novo espaço. A participação e o engajamento da comunidade perpetuam-se como caminhos para construirmos políticas públicas capazes de trazer transformações que melhorem de forma sistemática a vida em sociedade.